Archive for junho \27\UTC 2008

I has a hotdog

junho 27, 2008

Can’t get enough of ihasahotdog!!!

 

Grande Irmão

junho 26, 2008

A mania do Brasil achar que ser mais real que a realeza é algo evoluído por vezes me assusta. Esse projeto de lei é uma anomalia. É o pior dos dois mundos. É perverso e será inútil para qualquer coisa, a não ser, quem sabe, matar a internet. Num país que já fechou o YouTube por um dia por causa do gatorréi que este blog não nomina — aquela do sexo no mar — tudo é possível.

Espalhem a campanha, internautas!

(Via este blog)

 

Ipea says

junho 25, 2008

Esclarecedor.

Fortaleza Bela

junho 23, 2008



Fortaleza

Originally uploaded by gomezzz

E possível cenário de um filme de Wim Wenders…

yoda the pug

junho 23, 2008



yoda the pug

Originally uploaded by gomezzz

Extreme close-up!

Fortaleza com certeza

junho 23, 2008

Fortaleza sempre dá um nó na minha cabeça. De um lado, um estilo de vida que não podia ser mais diferente do meu. De outro, encontros maravilhosos. A idéia de voltar a morar aqui me confunde como nenhuma outra. Calma, calma: é apenas uma hipótese, às vezes tornada mais palpável; na maior parte das vezes, confortavelmente distante.

Fortaleza é uma província, isto é sabido. Mais do que Recife e Salvador, nas minhas impressões, mas essa também é uma medida impossível de dar, uma vez que é apenas a “sociedade fortalezense” que eu conheço e que me deixa de cabelo em pé. Eu me aguneio da hora que piso o aeroporto até a hora de partir (e aí, claro, fico com saudade, mas o serumao é mesmo esse poço de contradições…)

Das coisas que me aguneiam pro-fun-da-men-te: a sensação de 99% das mulheres com quem esbarro (da classe média-alta, bem entendido) estarem no mesmíssimo figurino, a saber: seja lá qual for o grito da moda chique do momento, cabelo na chapinha com franja, saltões, brincões e sempre em almoços com outras mulheres e nenhum homem. Suas atitudes para a vida refletem a padronização de suas roupas: conservadoras e previsíveis. Os maridos, do alto de seus 30 anos, estão (quase) todos barrigudos e caretas. A única coisa que grande parte desse povo parece fazer é: ir a casamentos (o que, em si, me dá um nó cego na cabeça), batizados, almoços e aniversários.

Por outro lado, venho dar o curso e me deparo com uma turma que colocaria no bolso qualquer outra para quem tenha dado aula na fiRma, em matéria de inteligência, repertório, bom-humor, generosidade, dedicação, diversidade e originalidade de idéias. E ainda é um povo bonito, corado, animado, festivo e que se veste bem, com simplicidade, mas — importante — cada um à sua maneira.

É óbvio que não é o ar da cidade que faz com que boa parte de sua elite seja de uma caretice entediante. Mas o que diabos é, então?

Vejam, se tem uma coisa que eu tenho tentado não fazer nestes últimos dez anos é julgar confortavelmente todo mundo que é diferente de mim (obviamente, essa, sim, é uma missão impossível — mas a tentativa constante é o que importa). Mas, duas coisas: 1) muito frequentemente eu ainda sou julgada pela minha vida (“ah, tu é tão doida…” “ei, tu não vai casar, não?” ou “ah, finalmente tu casou!” ou ainda “ei, tu não vai ter filho?”) e 2) eu simplesmente não consigo entender como é que eu, tendo sido criada sob a mesma sociedade, posso ter uma vida tão simples e aparentemente tão diferente da “desse povo”.

Bom, mas a irmã quer usar o computador, já, já eu volto para continuar a história…

Voltando: enfim, me dá um nó na cabeça. Me incomoda muitíssimo e eu não entendo direito por quê. Qualquer caretice me incomoda, porque, no fundo, ela é tudo, menos tolerante. Me incomodam os casamentos como fim supremo de qualquer um, porque, no fundo, fui julgada — e ainda sou — por não dar bola para isso. No fundo, andei pensando, que a caretice e o machismo das mulheres cearenses talvez seja igual ou pior do que o dos homens. E é isso o que me incomoda.

Por essas e outras tenho dificuldade de me enxergar morando aqui novamente. Não é Fortaleza, per se, que, aliás, tem lugares, coisas e pessoas interessantíssimas. Sou eu. Eu que preciso de doses constantes de outras referências para não endoidar. Sou eu que tenho medo de me diluir no meio de tanta informação pasteurizada, em todos os sentidos. Sou eu que tenho medo de me deprimir para sempre entre chapinhas, franjas, brincões e nenhuma livraria, nenhuma mostra de cinema, quase-nenhuma diversidade que me coloque num novo lugar em relação à mim mesma.

Mais do que tudo, acho que o que me incomoda é a perene falta de tensão. Todo mundo sempre igual, todo mundo sempre indo pros mesmos lugares, usando sempre as mesmas roupas, pensando sempre a mesma coisa, vivendo confortavelmente com os mesmos amigos da infância, sem ter que se reinventar em nenhum momento da vida. Vidas previsíveis, mínimas variações sobre o mesmo tema: casar, reproduzir, sorrir para fotos em aniversários.

Não consigo. Não nego que seja de uma paz estarrecedora vir aqui e poder me dar o luxo de orbitar única e quase exclusivamente em torno da minha própria família, fazendo quase nada. Mas é justamente porque é passageiro que tem sido bom. Ou ao menos é o que me parece. Tenho medo que Fortaleza, quando em doses constantes, seja uma grade Kriptonita para minha criatividade, poder crítico, vontade de viver.

Desdobramentos

junho 22, 2008

Novo blog deste grande umbigo que vos escreve: Desdobramentos. Este, para questões não-pessoais, se é que game, cinema, artigos interessantes e afins não são coisas extremamente pessoais…

U23D

junho 22, 2008

Me coçando desesperadamente para ver isto, ai meu São Patrick!!! Melhor do que o Adam Clayton em 3D, só o Adam Clayton em 3D, carne, osso e beicinho!!!

Prognóstico: semestre ano que vem no Imax Bourbon Pompéia e eu insistindo com os guardas noturnos que eu vou, sim, dormir na fila para pegar a primeira sessão, embora não haja de fato uma fila. Hohoho.

Ah, e só pra ir entrando no clima, take a look at this: Ben Stiller encarnando Bono Vox. É sen-sa-cio-nal.

I’m too sexy…

junho 21, 2008



re01

Originally uploaded by gomezzz

Sushi com a irmã, Dona Lia e Dra. Anya, no mei da playzarada fortalezense, iiiiieeeeiiiiii!!! 😛

Scanners!

junho 16, 2008

É melhor eu pensar em malhar um pouco antes de pegar um vôo pros EUA. Já que algum agente vai me ver como vim ao mundo, que pelo menos seja uma boa experiência (para ambos, aliás!)! Mêda.

(Via Dispositivos de Visibilidade e Subjetividade Contemporânea, que recomendo, aliás!)