Tempo

(As palavras não dão conta e só agora esta semioticista percebe. Não sei nem se faz sentido escrever no blog. Mas também não sou do tipo que encerra as coisas em arroubos. Nunca fui. Pelo contrário. E, mesmo sabendo que as palavras não dão conta, não tenho como fugir delas. Resta-me fabular. Ou não, não sei.)

A morte de alguém tão próximo fende a vida em duas. Isto é muito claro. Eu tinha uma vida, que cessou ao receber a notícia da morte de meu pai e deu lugar a outra. A imagem do momento em que recebi a notícia é a que mais tem recorrido esses dias. É fulminante. E a partir dela, começa a lenta construção dessa outra vida… Em que passo a carregá-lo comigo a cada segundo, para mantê-lo vivo, porque, sem ele, quem não vive sou eu. Tenho medo e me sinto só. (Ao mesmo tempo, todas as manifestações de carinho têm me comovido e me impedido de enlouquecer. Mas é triste reconhecer que nada resolve essa solidão que se criou aqui dentro de mim. E talvez nunca resolverá…)

Minha luta agora é para não cair em depressão. Não é uma luta qualquer (e quem tenta fazer dela uma luta qualquer não ajuda a quem luta. Ao contrário, atrapalha e muito). Já estava profundamente insatisfeita com algumas questões da minha vida, agora… Confesso que não sei onde buscar forças para não cair. E sei bem que, a despeito de tudo, não tenho o que reclamar da vida (tenho bons amigos, tenho uma grande família maravilhosa, vivi 34 anos ao lado de um pai maravilhoso, tive êxitos, pago minhas contas, sou amada, tenho — até onde saiba — saúde…), mas não cair não é fácil… (Como lutar contra a falta de vontade de lutar???)

Não sei bem o que fazer agora…

10 Respostas to “Tempo”

  1. carlins Says:

    natinha, vc está aí?

    eu estou aqui, viu?

    beijos,

    carlins.

  2. t. bolinha Says:

    keep one thing in mind: peça ajuda sempre que precisar.
    e nunca nunca nunca guarde sozinha o(s) medo(s).
    peça ajuda. porque a gente está aqui prontos pra não lhe deixar cair.

  3. Lila Says:

    só fica aqui, com a gente… a casa tá escancarada pra vc!

  4. Pedro Says:

    Lindona,
    Nunca passei por nada parecido com isso, mas já sofri, como sofremos todos.
    E o tempo há de curar tudo, porque é assim mesmo.
    No começo tudo parece o fim, o inferno e o nada ao mesmo tempo.
    Me lembra muito quando eu levava caldo dos brabos lá na praia do futuro: a gente fica nadando em espuma, não consegue sair do lugar e parece que chegou o fim mesmo. Mas dali a pouco – ou a um pouco mais – o que era espuma vira água salgada e a gente bóia de novo.
    Fica forte aí, tenta fazer coisas que você gosta, ficar com o maridão, os amigos, ver filme e tomar sorvete que eu sei que você gosta.
    E sofra bastante, é importante passar por isso. Não vai ser fácil, mas vai passar. Comigo passou. Com todo mundo passa.
    Stay cool.
    Stay cool forever!
    Beijocas.

  5. Balla Says:

    Gata, ontem eu entrei aqui e escrevi um monte pra você. Infelizmente, deu um pau qualquer na hora do envio e eu não tive oportunidade de postar novamente. Entretanto, o básico do que eu queria dizer é: realmente é muito duro não cair, lutar quando já se está tão exausta. Por isso, a minha proposta envolve o inverso. Que tal em vez de brigar para se manter de pé, comprometer-se consigo mesma a fazer pelo menos uma coisa legal para você mesma por dia? Um chopp, um papo com usamigo, um cinema, meia hora de wii, uma prática de yoga, uma massagem, uma visita ao Dr. Jorge, qualquer coisa serve. Encare como um prêmio que você se dá dia a dia pela sua força e resistência. e não pode ser qualquer coisa nem repetir a mesma coisa todo dia. Você tem que planejar, pensar em algo que realmente vá te fazer feliz naquele dia ou amanhã. Nada de longo prazo, só um dia depois do outro, cotidiamente.
    Para o resto, estou por aqui.
    Te amo.

  6. Socorro Acioli Says:

    Renata, eu sinto muito. E já senti essa dor várias vezes. No meu caso, o que me salva de tudo de ruim que poderia me arrastar é acreditar que a vida não para por aqui. Muito ao contrário. Digamos que essa vida em carne e osso é só a primeira fase do jogo.
    Os afetos, esses sim, são para todo sempre.

    Vou torcer muito para que você fique bem. Se precisar conversar estou por aqui.

    Beijos!

  7. dr. strangelove Says:

    queridos, obrigada pelo carinho…

  8. andre Says:

    Renatinha,
    Palavra óbvia… FORÇA! Evitamos e não aparecemos no seu natalício, fizemos certo?!? sei lá…
    Outra coisa, Acho que sim, mentalize, voce tem que refletir(não sei bem se é essa a palavra), isso ajudará “matar essa angustia” a guardá-la fermentando dentro de si.
    Por um momento quando voce lê cada palavra dessa, sendo a minha ou de outro amigo, voce deve nos sentir. Não está nos vendo no momento, talvez apenas sentindo a presença…Sacou?
    Esquecer do passado com ele, JAMAIS. São as boas lembranças e ensinamentos que devem fazer morada no seu caminhar.
    Sem mais delongas, fique certa… Estamos aqui!
    beijão!

  9. kalu chaves Says:

    renatinha,
    penso muito em vc., sabia?
    mas olha, uma hora isso tudo vai passar (ou quase passar), viu?
    vc. vai conseguir se erguer e seguir adiante, menina!
    fique bem.

  10. Marie Says:

    Querida,

    Tempo e só o tempo aliado à magia da vida – pois ela se refaz sempre – vão curar essa dor e dar sentido à vida. Seja paciente consigo e com a dor e não perca a fé, mesmo que não exista luz aparente no fim do túnel. Um dia, quando você menos esperar, ela se fará presente novamente.

    Beijo grande!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: